skip to Main Content
Livros De Crônicas

Conheça 8 livros de crônicas de escritores brasileiros

Muito celebrada no Brasil, a crônica é um texto curto que costuma abordar acontecimentos do dia a dia de uma forma que mescla jornalismo e literatura. É possível encontrá-las nos jornais, de forma mais despretensiosa, mas para quem gosta de tê-las sempre por perto para ler e reler, os livros de crônicas são uma ótima ideia! Siga na leitura para conferir 9 indicações de obras que não vão deixar na mão nenhum apaixonado pelo gênero.

1. As 100 melhores crônicas brasileiras

O Brasil é o país do futebol, do samba e, não tenha dúvida, das crônicas! Por conta disso, já começamos a lista com essa obra que reúne 100 grandes momentos do gênero, dos mais diferentes autores, reunidas pelo também cronista e jornalista Joaquim Ferreira dos Santos.

Nomes como Rubem Braga, Nelson Rodrigues, Rachel de Queiroz, Chico Buarque, Lygia Fagundes Telles e João Ubaldo Ribeiro fulguram na obra, junto com muitos outros.

2. 200 crônicas escolhidas de Rubem Braga

Falar de crônica no Brasil é falar de Rubem Braga, um dos nossos maiores cronistas. O capixaba nascido em Cachoeiro do Itapemirim nasceu em 1913, faleceu em 1990 e no meio do caminho nos presenteou com centenas de pequenos e sagazes textos sobre os mais diversos assuntos.

Para quem quer mergulhar em sua vasta obra, o livro 200 crônicas escolhidas é uma excelente companhia!

3. Todas as crônicas de Clarice Lispector

Essa edição especial da editora Rocco reúne, pela primeira vez em uma só obra, todas as crônicas de Clarice Lispector, que também teve uma vasta produção no gênero. O livro traz mais de uma centena de textos inéditos da escritora que, até hoje, conta com uma enorme legião de fãs por todo o país.

4. Coleção: Para Gostar de Ler (crônicas)

Crédito da imagem: Jornal Rascunho

Criada pela editora Ática, a coleção Para gostar de ler marcou a vida de muitos brasileiros entre os anos de 1980 e 2000. Criados para servir de incentivo a estudantes de Ensino Fundamental e Médio, os livros fizeram história e marcam, até hoje, a vida de muitos dos seus leitores.

O primeiro volume da coleção, lançado em 1977, continha justamente crônicas de 4 diferentes expoentes nacionais: Rubem Braga, Fernando Sabino, Carlos Drummond de Andrade e Paulo Campos Mendes.

5. Nu, de botas

Falamos de clássicos e chegou a hora de começar a falar dos cronistas contemporâneos! Antonio Prata é considerado o cronista mais importante de sua geração e escreve, atualmente, para a Folha de São Paulo — mas já marcou uma grande geração de meninas que comprava a Revista Capricho e saía correndo para ler a sua coluna na última página.

O autor já conta com alguns livros de crônicas publicados, mas para recomendar aqui eu escolhi Nu, de botas que traz histórias sobre a sua infância. Com a capacidade de nos fazer chorar de rir e ainda lembrar com muita nostalgia sobre essa época das nossas vidas, essa é uma obra deliciosa para ter na mesa de cabeceira e ler logo antes de dormir, para desopilar dos estresses do dia.

6. Um lugar na janela

Também conhecida como uma das melhores cronistas brasileiras de sua geração, Martha Medeiros é gaúcha e já ultrapassou, com seus livros, a marca de 1 milhão de cópias vendidas.

São várias as suas obras publicadas que também trazem pequenos textos sobre os mais diversos assuntos. Para trazer para esta lista, escolhi Um lugar na janela, um livro na qual ela reúne algumas de suas crônicas sobre viagens! Rola de tudo: de paisagens deslumbrantes aos grandes perrengues. Constante mesmo é só o dom da escritora em nos fazer vivenciar tudo junto com ela.

7. Crônicas de mulheres negras

Se as crônicas falam da vida, também falam de sociedade — e elas não podem vir de apenas um tipo de pessoas. Chimamanda já explicou (em palestra no TED e em livro) sobre o perigo da história única e a importância de ouvir diferentes vozes.

Em Crônicas de mulheres negras a autora Michelle Villaça Lino coloca luz sobre diferentes histórias vivenciadas por mulheres negras para que assuntos como desigualdade social e de gênero e racismo sejam colocados cada vez mais em pauta: é preciso refletir sobre o assunto e atuar, todos os dias, como agente transformador da sociedade. 

8. Um dia ainda vamos rir disso tudo

Ruth Manus é uma advogada e escritora brasileira, colunista tanto da Glamour Brasil quanto do Observador. Seus textos falam sobre como viver e refletir nesses tempos atuais, tão confusos e, ao mesmo tempo, tão férteis. 

Ela consegue flutuar entre assuntos que vão desde simples conversas entre amigas por meio das redes sociais até assuntos mais delicados e que precisam ser observados com urgência pela nossa sociedade. Esperamos que, de fato, um dia possamos rir de tudo isso — mas com as crônicas você já vai conseguir rir pelo menos um pouco.

Se você gostou deste texto e gosta de conferir dicas de literatura, aproveite para clicar no banner abaixo e navegar por nossas várias outras Opiniões Certificadas sobre esse assunto!

Atualizado em 2021-11-22 / Links afiliados (Affiliate links) / Imagens de Amazon Product Advertising API

Analu Bussular

Jornalista e produtora de conteúdo, nunca se cansa de falar de livros na internet e está sempre ouvindo Taylor Swift. Nas horas vagas é sommelier de batatas fritas.

Este artigo tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top