skip to Main Content
Tati Bernardi Com Camiseta Preta E Olhando Para A Câmera.

Tati Bernardi: livros que vão mudar sua vida e te divertir

A literatura possui a maravilhosa habilidade de expressar sentimentos que vão desde a tenra tristeza até a mágica felicidade. Entre escritos, sentimentos, palavras e sensações, os livros da Tati Bernardi conseguem unir emoções que muitos considerariam completamente opostas.

Escritora, roteirista de cinema e de televisão, podcaster no Calcinha Larga e no Meu Inconsciente Coletivo, estudante de psicanálise, mãe da fofíssima Rita e muitas outras coisas que não caberiam em um parágrafo, Tati Bernardi teve sua primeira obra publicada em 2006, denominada A mulher que não prestava.

Original de São Paulo, Tati possui, hoje, duas colunas na Folha de São Paulo. É coisa fina, que fala sobre livros curtos para instigar leitoras e leitores, e um espaço para suas crônicas recheadas de histórias reais — ou nem tanto.

Com a escritora, aprendemos dois pontos importantes sobre a literatura: é possível rir e chorar em menos de duas páginas e dá para fazer da auto-ficção munição para grandes (e necessárias) obras.

Auto-ficção é, basicamente, uma teoria literária que mistura o real (auto) com o inventado (ficção), utilizando do exagero e das memórias para criar narrativas envolventes e que brincam com o que de fato aconteceu e o que pode ser nossa mente — ou nosso imaginário — traçando caminhos.

Tati Bernardi em programa de TV, sorrindo.
Tati Bernardi usa do real para criar o exagero necessário das emoções. Imagem: Reprodução | Gshow

É o trabalho delicado com a sensibilidade, o real, as emoções e a ficção que faz de Tati Bernardi uma especialista sobre o cotidiano. Só um olhar muito aguçado para o mundo consegue enxergar, ao mesmo tempo, a beleza e o absurdo em simplesmente atravessar uma rua.

Pensando na grandeza de suas obras, separamos cinco livros de Tati Bernardi para que você conheça a literatura da autora. Continue a leitura e confira!

1. Você nunca mais vai ficar sozinha

Lançado em 2020, Você nunca mais vai ficar sozinha conta a história de Karine, uma roteirista de eventos, que descobre, aos 35 anos, que está esperando um bebê. Ao contar à sua mãe sobre a gravidez, é justamente a frase que dá nome à obra que ela ouve.

O livro acontece enquanto Karine narra histórias da sua vida para a obstetra com uma intimidade e uma transparência que só a vulnerabilidade é capaz de atingir. Entre atitudes compulsivas, hipocondríacas, honestas e humanamente possíveis, descobrimos a narrativa de fundo da futura mãe, assim como seus sentimentos, medos, inseguranças, amores, felicidades e relações.

“E manterei o erro apenas porque preciso de um erro para fora de nossa bolha de amor. E confundirei qualquer desgraçado com amor porque será preciso alguém muito forte para nos romper, mãe.”

Ao mesmo tempo, somos apresentados para toda a ambiguidade que ser filha e ser mãe pode significar. Você nunca mais vai ficar sozinha é, sobretudo, um olhar para a maternidade em sua forma mais crua, para além de romantizações e ideias bonitas.

Com a densidade de emoção e de humor característica de Tati Bernardi, temas cotidianos e sentimentos coletivos — porém não tão debatidos — transformam a narrativa em um suspiro, que pode vir de tanto rir quanto de tanto chorar.

No plano de fundo, psicologia, sociedade e cultura permanecem se cruzando conforme conhecemos mais de Karine, de sua mãe e da filha que a personagem principal está gerando. É um livro sobre amor que consegue dialogar sobre o sentimento sem elevá-lo ao sagrado.

Desconto
Você nunca mais vai ficar sozinha
  • Bernardi, Tati (Author)
  • 144 Pages - 05/12/2020 (Publication Date) - Companhia das Letras (Publisher)

2. Homem-objeto e outras coisas sobre ser mulher

Homem-objeto e outras coisas sobre ser mulher (2018) é uma coletânea com as melhores crônicas publicadas por Tati Bernardi em sua coluna da Folha de São Paulo, a qual ela escreve desde 2013.

Close na capa de Homem-objeto, livro de Tati Bernardi.
Homem-objeto é uma coletânea de crônicas publicadas na coluna de Tati. Imagem: Reprodução | Nostalgia Cinza

Os textos nadam entre o ser mulher, sentimentos íntimos, paranoias, acontecimentos comuns — que se tornam, nas mãos de Tati, grandiosos —, experiências diárias e pensamentos compartilhados.

É uma opção para quem gosta de narrativas curtas e envolventes, regadas à humor, ironia e profundidade emocional. Como sempre, Bernardi usa de sua lupa para aumentar e minimizar situações, recheando-as com uma intimidade própria da autora.

Desconto
Homem-objeto e outras coisas sobre ser mulher
  • Bernardi, Tati (Author)
  • 256 Pages - 06/25/2018 (Publication Date) - Companhia das Letras (Publisher)

3. Depois a louca sou eu

Enquanto o primeiro livro da lista parte da maternidade, Depois a louca sou eu (2016) se volta para a psicologia ao narrar determinadas doenças que afetam a saúde mental, como crise de pânico e ansiedade.

Assim como Você nunca mais vai ficar sozinha, esta obra parte do eu e é narrada em primeira pessoa, característica que fez com que muitas pessoas entendessem o livro como uma autobiografia.

De fato, é possível ver muito de Bernardi na obra, que é, na verdade, uma auto-ficção muito bem criada e desenvolvida. Durante a narrativa, remédios, manias, neuroses, medos, crises e traumas cruzam situações comuns e mostram como a ansiedade e o pânico são doenças que precisam ser escancaradas.

“O pânico é essa interseção entre a certeza absoluta de que você não importa nada para o mundo e a certeza absoluta de que todos estão comentando o fato de você não importar nada para o mundo.”

Ao expor a vulnerabilidade de uma forma tão honesta, Depois a louca sou eu atinge o nível de universalização necessário à literatura. Soa, portanto, como um abraço. Como alguém dizendo “está tudo bem, eu sinto o mesmo que você e, ainda assim, consigo estar vivo”.

Evidentemente, o humor vem muito bem costurado em cenas cotidianas e corriqueiras, ao mesmo tempo em que o drama e a sensibilidade aparecem de forma crua. É, de novo, Tati Bernardi mostrando que, como seres humanos, somos imensamente complexos.

Depois a louca sou eu
  • Bernardi, Tati (Author)

Depois a louca sou eu, inclusive, foi adaptado para longa-metragem e já está disponível para ser assistido desde o dia 25 de fevereiro. Confira o trailer:

4. Tô com vontade de uma coisa que eu não sei o que é

Publicado em 2008, Tô com vontade de uma coisa que eu não sei o que é é uma coletânea de contos e de crônicas, assim como Homem-objeto. Dessa vez, no entanto, Tati Bernardi narra todas as coisas que ela sente, pensa, deseja e vive — mesmo que, muitas vezes, não faça ideia do que isso significa.

Sexo, amor, solidão, trabalho, machismo, ansiedades, carreira profissional, sucesso e outros temas são costurados às histórias divertidas, honestas e sem filtro da escritora ainda no início de sua carreira — esta é a segunda obra publicada por Tati.

A grande característica do livro, sobretudo, é ilustrar perfeitamente a habilidade de Bernardi em contar histórias que passariam despercebidas no dia a dia e não teriam nada de relevante se fossem narradas por outras pessoas.

É a característica de estrela, chamada pela autora, em seus podcasts, de talento, que torna a obra tão interessante e divertida. Se não fosse Bernardi, ninguém conseguiria contar os episódios com tanta maestria.

5. A mulher que não prestava

O último livro da nossa lista é, também, o primeiro publicado por Tati Bernardi, em 2006. Trata-se, também, de uma coletânea de contos e crônicas publicados pela autora nas revistas VIP e TPM. 

Em A mulher que não prestava, somos apresentados a uma Tati Bernardi mais nova, porém já com senso de humor para a realidade desenvolvido. As situações vão sendo cruzadas por um olhar denunciativo, muitas vezes, que ilustra como os defeitos e as imperfeições são tão frequentes — e necessários — quanto os acertos.

“Aprendi que ser a gente mesmo tem seu peso, principalmente quando sentimos a necessidade de realmente ser”

O livro acompanha bastante da vida profissional de Tati, debatendo sobre sinceridade, falsidade, educação, maldade e outros sentimentos e sensações que coexistem por trás das atitudes e das relações humanas.

Mesmo sendo o primeiro livro publicado da autora, A mulher que não prestava dá uma prévia do que Bernardi se tornaria e de como sua literatura consegue brincar com a ironia e com a honestidade, mesclando ambos inúmeras vezes.

A mulher que não prestava
  • Bernardi, Tati (Author)

Os livros da Tati Bernardi são, certamente, obras que irão te divertir e te emocionar — ambos ao mesmo tempo, em certos momentos — por destacarem a forma como a vulnerabilidade gera conexão.

São ótimos para refletir sobre situações cotidianas por meio de sentimentos que se tornam mais exprimíveis a partir da literatura da escritora contemporânea que, certamente, já deixou sua marca na literatura brasileira.

Aliás, se você é um amante da arte nacional, confira nosso conteúdo sobre 15 livros de literatura brasileira que não podem faltar na sua estante. É só clicar no botão abaixo e ler!

Imagem de capa: Reprodução | Prefeitura de Guarulhos

Atualizado em 2021-05-13 / Links afiliados (Affiliate links) / Imagens de Amazon Product Advertising API

victor matheus

victor matheus

pesquisador de literatura com ênfase em arte moderna e contemporânea. usa da língua e da linguagem para entender os seus desdobramentos na sociedade. sonha em ser amigo do adorno, mas nasceu tarde demais.

Este artigo tem 0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top