skip to Main Content
Criança Lendo Um Grande Livro Com Páginas Laranjas.

Literatura infantil: livros que ensinam, educam e inspiram

Um estudo desenvolvido pela Universidade de Cambridge demonstra que, além de auxiliar na alfabetização da criança, incentivar a leitura nos primeiros anos de vida é fundamental para o desenvolvimento de habilidades como a empatia.

Mais do que abrir as portas do imaginário, ler é uma descoberta constante. Por isso, nos primeiros anos de vida, ter o cuidado de escolher livros que ensinam para as crianças é muito importante, afinal, é o que ela tem contato durante essa época que moldará parte da sua personalidade.

Para te ajudar na tarefa de escolher a dedo o que será lido para os pequeninos, separamos seis livros infantis que educam e inspiram. Também listamos algumas dicas para estimular o hábito da leitura ao final do texto. Confira!

1. Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes

Escrito por Elena Favilli e Francesca Cavallo e ilustrado por diversas mulheres, Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes reúne cem histórias de personalidades femininas marcantes, das mais diversas profissões, etnias, épocas e nacionalidades.

Em um mundo no qual, segundo estudos desenvolvidos pela revista Science, meninas a partir dos seis anos começam a se sentir menos capazes que meninos, este livro se torna uma espécie de urgência.

“Para garotas rebeldes de todo o mundo: sonhe grande; mire distante; lute com bravura; e, na dúvida, lembre-se: você está certa.”

Quem pensou que o livro é indicado apenas para garotas, se engana. Lê-lo para um menino também é uma forma de falar sobre representatividade e de mostrar a importância em respeitar as mulheres. 

Mais do que um combate ao machismo, a obra nos leva a pensar sobre como muitas mulheres foram “esquecidas” na história. Afinal, os feitos são tão grandiosos que resultaram em Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes 2.

Seja como presente ou como livro de cabeceira para seu filho e filha, este é um exemplar que precisa estar na estante dos pequeninos!

Ficha técnica:

  • Título: Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes
  • Autoras: Elena Favilli e Francesca Cavallo
  • Editora: VR Editora
  • Páginas: 220
  • Classificação no Skoob: 4,6/5 
  • Adicione ao Skoob
Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes.
Imagem: Amazon/Reprodução.

2. Menina Bonita do Laço de Fita

Um clássico da literatura infantil lançado em 1986 pela renomada escritora brasileira Ana Maria Machado, Menina Bonita do Laço de Fita é um livro que fala sobre a valorização da diversidade racial.

A história é bem curta e roda em torno do diálogo entre uma menina e um coelho, que está encantado pela cor da pele da garota. A protagonista, que é negra, é exaltada por sua beleza, reforçando o diálogo sobre aceitar a diferença e ver o bonito fora do padrão existente.

É claro que, para a criança, essa discussão vem em segundo plano de uma narrativa que se assemelha a uma fábula. O valor dela está no fato de tratar sobre a temática justamente de uma forma singela e delicada.

Indicado para crianças de todas as etnias, o livro gera aproximação e empatia. O sucesso é tamanho, que já foi adaptado como curta pela Oger Sepol Produções. Assista-o abaixo:

Ficha técnica:

  • Título: Menina Bonita do Laço de Fita
  • Autora: Ana Maria Machado
  • Editora: Ática
  • Páginas: 24
  • Classificação no Skoob: 4,2/5 
  • Adicione ao Skoob
Menina Bonita do Laço de Fita.
Imagem: Amazon/Reprodução.

3. Malala – A Menina que Queria ir para a Escola

Neste livro, Adriana Carranca conta a história de Malala para crianças e de uma forma mais simples, com ilustrações que misturam o real com o imaginário.

Malala é uma garota que, ainda hoje, luta pelo direito à educação para crianças em todo o mundo. Antigamente, ela vivia no Paquistão e, devido às entrevistas e publicações que fazia na internet sobre acesso à escolaridade, sofreu um ataque terrorista que a deixou em coma por dez dias.

O ocorrido e o protesto pacífico de Malala fez com que ela se tornasse a mulher e pessoa mais jovem da história a ganhar um prêmio Nobel da Paz.

“Malala foi ensinada desde pequena a defender aquilo em que acreditava e lutou pelo direito de continuar estudando.”

Além de falar sobre coragem, resistência e retratar uma mulher forte, o livro faz refletir sobre como a educação é importante para o crescimento. Vivendo em um país com acesso a ela, conhecer a narrativa de Malala ajuda, inclusive, a acender um desejo de estudo com afinco.

A escritora encontra, com maestria, uma forma sutil de contar uma história que pode parecer difícil de lidar. Vendeu milhões de exemplares e é, hoje em dia, um livro muito indicado nas escolas do mundo.

Ficha do produto:

  • Título: Malala – A Menina que Queria ir para a Escola
  • Autora: Adriana Carranca
  • Editora: Companhia das Letrinhas
  • Páginas: 96
  • Classificação no Skoob: 4,2/5 
  • Adicione ao Skoob
Malala – A Menina que Queria ir para a Escola.
Imagem: Amazon/Reprodução.

4. Flicts

Este livro foi a estreia do cartunista Ziraldo no mundo literário, em 1969, e, ainda hoje, é uma das grandes referências da literatura infantil nacional. 

Ele conta a história de uma cor, chamada Flicts e retratada como um bege, que tenta encontrar seu lugar entre as outras cores, mas é sempre colocada de lado e diminuída.

A obra fala sobre bullying, aceitação, preconceito e a importância de amar quem somos. Quando Neil Armstrong veio ao Brasil, foi entregue a ele uma cópia do livro, e o astronauta afirmou que a lua é Flicts. Desde então, os exemplares são finalizados com essa frase, mostrando que, sim, há espaço para todos no universo.

Assim como esperado de uma obra de Ziraldo, esta é repleta de ilustrações e cores simples, porém fortes e impactantes. O livro é, além de uma referência para crianças, muito utilizado no estudo da psicologia das cores.

Ficha do produto:

  • Título: Flicts
  • Autor: Ziraldo
  • Editora: Melhoramentos
  • Páginas: 24
  • Classificação no Skoob: 4,2/5 
  • Adicione ao Skoob
Flicts.
Imagem: Amazon/Reprodução.

5. O Menino do Dedo Verde

Um clássico da literatura infantil publicado em 1957 e, até hoje, atual. O livro extrapola o limite da imaginação ao retratar um garoto capaz de fazer crescer plantas e flores ao tocar as superfícies com seu polegar.

“A vida é, afinal, a melhor escolha que existe.”

Além de falar sobre o respeito à natureza e ao meio-ambiente, O Menino do Dedo Verde leva o leitor a refletir sobre a guerra, a pobreza, a prisão e a doença.

Tistu, o protagonista, encontra em seu poder a possibilidade de transformar esses lugares tristes em floridos e encantadores. É uma história apaixonante e feita para todas as idades, com traços que se assemelham ao clássico O Pequeno Príncipe.

Ficha do produto:

  • Título: O Menino do Dedo Verde
  • Autor: Maurice Druon
  • Editora: José Olympio
  • Páginas: 128
  • Classificação no Skoob: 4,0/5 
  • Adicione ao Skoob
Imagem: Amazon/Reprodução.

6. Meus Dois Pais

Naldo é um garotinho que, após a separação dos pais, fica morando com a mãe. No entanto, após ela mudar de cidade por conta de uma promoção, Naldo acaba indo viver com o pai que, por sua vez, agora mora com o que chama de colega.

Durante a história, pessoas se afastam do garoto, a mãe e a avó têm conversas estranhas e, determinado dia, ele é proibido de visitar um amiguinho por possuir um pai gay.

Entre revoltas, descobertas, preconceitos sendo desconstruídos e relações familiares sendo ressignificadas, Meus Dois Pais é uma obra valiosa por levar, à literatura infantil, um tema tão importante como a homossexualidade. 

As ilustrações tornam o livro ainda mais rico e feito para todas as idades. Com certeza, é um exemplar para ter na estante.

Ficha do produto:

  • Título: Meus Dois Pais
  • Autor: Walcyr Carrasco
  • Editora: Ática
  • Páginas: 40
  • Classificação no Skoob: 4,0/5 
  • Adicione ao Skoob
Meus Dois Pais.
Imagem: Amazon/Reprodução.

Dicas para incentivar a leitura nas crianças

Para se tornar um hábito, a leitura precisa ser explorada e fomentada desde o nascimento da criança. Como todo costume, precisa ser cotidiana e, nunca, uma imposição. Assim, torna-se um exercício prazeroso para os pequeninos.

1. Foque na diversão

Forçar a leitura é o menos indicado na hora de incentivá-la. Esse exercício precisa ser divertido para as crianças e, se for uma obrigação, não será visto dessa maneira.

Além disso, é mais provável que as crianças se lembrem do que aprenderam enquanto se divertiam. Assim, encontrar lições nos livros e levá-las para a vida é mais fácil quando há contentamento.

2. Respeite o ritmo do seu filho

Se ele não conseguir ler mais de algumas páginas no dia ou não estiver conseguindo acompanhar a leitura, respeite isso e dê à criança a possibilidade de fazer outra atividade.

Também não se preocupe se ele escolher um livro que pode parecer mais infantil em uma idade avançada. A literatura não é linear e, se o seu filho buscou uma obra mais infantilizada, é porque sente a necessidade.

3. Dê o exemplo

Mãe e filha lendo juntas.
Além de ler com seu filho, ter um livro por perto é ensinar pelo exemplo.

Durante a infância, as crianças buscam inspirações em pessoas que são autoridades e referências para elas. Nessa perspectiva, os pais e adultos que as cercam precisam ler para que elas se interessem pela leitura.

Dizer para que seu filho leia quando você procura um livro muito raramente não vai trazer frutos muito prósperos, já que ele não tem um exemplo a seguir. Encontre um formato que te agrade e tente ler algumas páginas pelo menos uma vez ao dia.

4. Encontre um gênero que seu filho gosta

Algumas crianças começarão a ler nos livros, enquanto outras irão preferir gibis, e outras podem querer até revistas infantis.

Encontrar qual formato a criança mais aprecia é importante. Com o tempo, ela irá procurar livros mais densos, conforme evolui no processo de aprendizado. Respeite esse contato, porque é gradual.

5. Não pare de ler para a criança

Depois de alfabetizada, é comum que a criança comece a ler sozinha e que a frequência com que os adultos leem para ela diminua. No entanto, não pare de ler para o seu filho, já que, com certeza, ele aprecia esse momento entre vocês.

Outra boa prática é fazer comentários sobre o que você está lendo e questioná-lo sobre o livro dele. Ler a mesma obra juntos e até fazer um clube de leitura em casa também pode ser muito interessante para todos.

6. Debata sobre a história

Finalizar um livro e não comentar sobre ele deixa as interpretações muito abertas. Estimule o pensamento da criança sobre o que ela leu ou sobre o que foi lido para ela.

Caso seu filho seja muito pequeno, encontre uma forma de realizar o debate de forma mais simples e, conforme a leitura avançar, comece a se aprofundar.

7. Frequente livrarias e bibliotecas

Balcão de atendimento de uma livraria.
Frequente livrarias, bibliotecas e até sebos com as crianças para despertar a curiosidade nelas.

Livrarias e bibliotecas são espaços muito ricos porque, por mais que você tenha uma coleção particular em casa, ela é bastante pequena quando comparada ao número de obras presentes nesses lugares.

Quando você vai a uma livraria fazer compras, nem que seja de um exemplar, e leva a criança consigo, mostra para ela a extensão de obras que existem e que podem ser lidas. Isso estimula a curiosidade.

Ler para uma criança estimula a educação, a curiosidade e faz com que pensemos melhor aspectos sobre nossa cultura e nossa sociedade. Como toda forma de arte, na literatura encontramos significados e reflexões que poderiam passar batidos no cotidiano.

Ler desde cedo gera frutos para a vida toda. Da melhora da escrita ao estímulo da criatividade, leitores ávidos são raros, porém necessários. Criar esse costume no seu filho dá orgulho a você e um futuro mais próspero a ele!

victor matheus

victor matheus

pesquisador de literatura com ênfase em arte moderna e contemporânea. usa da língua e da linguagem para entender os seus desdobramentos na sociedade. sonha em ser amigo do adorno, mas nasceu tarde demais.

Este artigo tem 5 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top