skip to Main Content
Estante Com Discos Ao Lado De Um Headphone.

Discos de vinil do Nirvana: quais os melhores e onde comprar

Hoje, os discos de vinil do Nirvana são muito procurados entre os fãs. E não é para menos: a banda foi um dos grandes fenômenos musicais do final do século 20 e, de forma inesperada e orgânica, alcançou as paradas de sucesso, se tornando o principal nome do rock dos anos 90, quase da noite para o dia.

A sonoridade que a banda de Kurt Cobain construiu no decorrer de sua carreira está diretamente relacionada à sua história. Por isso, elaboramos um conteúdo falando sobre cada um dos lançamentos em ordem cronológica.

Se interessou? Continue a leitura!

1. Bleach (1989)

O Nirvana surgiu como qualquer conjunto de rock de sua época: dois garotos desajustados (Kurt Cobain e Krist Novoselic) se conheceram durante o ensino médio em uma pequena cidade do noroeste dos Estados Unidos chamada Aberdeen. Graças aos interesses em comum, tornaram-se grandes amigos.

Em 1987, após anos de insistência de Kurt, os dois resolvem formar a banda. Para completar a formação, chegaram a testar seis bateristas, até que encontraram Chad Channing, que assumiu as baquetas.

O trio se apresentou algumas vezes e chamou a atenção do selo independente Sub Pop, sediado em Seattle (a menos de 200 quilômetros de Aberdeen), que estava atento à cena que efervescia na região. Resolveram então contratar o Nirvana para a gravação de seu primeiro disco.

O trabalho custou 600 dólares e foi produzido por Jack Endino, um conhecido nome do rock alternativo, que já havia trabalhado com Mudhoney e Soundgarden. A gravação durou pouco menos de um mês, no período entre Natal e Ano Novo de 1988 e 1989.

As influências para a composição de Bleach foram as mais diversas: desde o soft-rock de The Smithereens, passando pelo hard rock de Led Zeppelin e Aerosmith, ao metal extremo de Celtic Frost. Importante mencionar também a banda pioneira na cena de Seattle, o Melvins, grande referência para o Nirvana.

Essa mistureira era decodificada pelo jeito inexperiente, agressivo e, ao mesmo tempo, ingênuo que Kurt cantava e tocava guitarra. As letras também eram de sua autoria e narravam de forma desconexa e até enigmática as experiências do compositor.

Os grandes destaques do álbum são “About a Girl”, que Kurt fez para sua namorada à época, e “Love Buzz”, cover de uma banda holandesa dos anos 60 chamada Shocking Blue. Assista a uma performance da banda abaixo:

Bleach não chegou a ser um sucesso comercial, mas foi recebido com elogios pela mídia especializada local. Hoje, trata-se de um grande marco, que prenunciava o monstro incontrolável que a banda se tornaria.

Curiosidade: no encarte, além do trio, o guitarrista Jason Everman é citado como parte da banda. Porém, ele não participou das gravações, apenas forneceu o dinheiro para que o Nirvana deslanchasse seu trabalho.

Capa do disco Bleach.
Imagem: Amazon/Reprodução.
Ficha técnica
Lançamento: 1989
Gravadora: Sub Pop
Produtor: Jack Endino
Disco simples – Importado

Lista de faixas
Lado A
1. Blew   2:55
2. Floyd the Barber   2:18
3. About a Girl   2:48
4. School   2:42
5. Love Buzz   3:35
6. Paper Cuts   4:06
Lado B
7. Negative Creep   2:56
8. Scoff   4:10
9. Swap Meet   3:04
10. Mr. Moustache   2:24
11. Sifting   3:24

Link para comprar na Amazon

2. Nevermind (1991)

O primeiro disco proporcionou ao Nirvana uma turnê pelos Estados Unidos com quase 100 shows, além de apresentações no México, Canadá e Europa. Essa experiência na estrada foi fundamental para o amadurecimento no som e nas composições da banda.

Quem não acompanhou esse processo foi Chad Channing, que começou a colecionar diferenças pessoais e musicais, e logo foi demitido. Para o seu lugar, Kurt e Krist escolheram Dave Grohl, que era baterista da banda de hardcore Scream.

Além disso, assinaram com o selo DGC Records, pois estavam insatisfeitos com a falta de divulgação por parte da Sub Pop. Só então, em meados de 1990, começaram a gravação de seu novo álbum.

O novo produtor escolhido pela banda foi Butch Vig, por sugestão de colegas próximos. A locação, por sua vez, foram os Sound City Studios, que já havia recebido artistas como Fleetwood Mac, Elton John e Tom Petty.

Se o Bleach era um amontoado maciço de guitarras e berros, aqui a banda já sabe trabalhar melhor as melodias, e brinca com a dinâmica, alternando agressividade, partes acústicas e, muitas vezes, refrões pop.

A entrada de Grohl acompanhou muito bem essa mudança. O novo baterista se destaca durante todo o disco dando a cadência exata que a banda precisa, e, além de sua habilidade com as baquetas, empresta seus backing vocals a muitas faixas.

E por falar em faixas, não dá pra falar do Nevermind sem citar o estrondoso sucesso de “Smells Like Teen Spirit”. Inspirada em bandas como Pixies e no hit “More Than a Feeling”, do Boston, a canção desbancou “Black or White” de Michael Jackson das paradas de sucesso e impulsionou inesperadamente o sucesso dos garotos vindos de Aberdeen.

O disco também inclui outros grandes sucessos, como a atmosférica “Come as You Are”, a incisiva “Lithium” e a melancólica “Something in the Way”. Também é possível destacar canções que não foram sucessos comerciais, mas que são pontos altos do trabalho, como “Territorial Pissings” e “Stay Away”.

As letras continuavam narrando crônicas do cotidiano. “Polly”, por exemplo, foi inspirada pela notícia do sequestro de uma garota de Washington. Já “In Bloom” ironizava os artistas que buscavam sucessos às custas de Kurt e sua banda. Confira um trecho dessa última abaixo:

“Ele é o que gosta de nossas belas músicas,

e ele gosta de cantar junto, e ele gostaria de atirar sua arma, 

mas ele não sabe o que significam”

Se você ainda tinha dúvidas, saiba que esse é certamente um disco de vinil do Nirvana para estar em sua coleção!

Capa do disco Nevermind.
Imagem: Amazon/Reprodução.
Ficha técnica
Lançamento: 1991
Gravadora: DGC Records
Produtor: Butch Vig
Disco simples – Importado

Lista de faixas
Lado A
1. Smells Like Teen Spirit   5:01
2. In Bloom   4:14
3. Come as You Are   3:39
4. Breed   3:03
5. Lithium   4:17
6. Polly   2:57
Lado B
7. Territorial Pissings   2:22
8. Drain You   3:43
9. Lounge Act   2:36
10. Stay Away   3:32
11. On a Plain   3:16
12. Something in the Way   3:52

Link para comprar na Amazon

3. Incesticide – Compilação (1992)

Para aproveitar o sucesso meteórico do Nevermind, a DGC Records fez o que muitas gravadoras fazem: preparou uma coletânea com material inédito para lançar como caça-níquel e, ao mesmo tempo, aquecer o público para o próximo trabalho de estúdio.

O Nirvana apresentado em Incestide não é conciso. Como as canções datam de várias épocas, entre 1988 e 1992, a banda sempre está no meio de várias mudanças. 

Para se ter uma ideia, as dezesseis faixas foram gravadas em sete estúdios diferentes, e contam com quatro bateristas distintos. Entre elas, estão versões de músicas já lançadas, gravações ao vivo, covers de The Vaselines e Devo e lados-B de singles. 

O carro-chefe da compilação foi o single “Sliver”, que chegou a ganhar clipe e fez um sucesso razoável. Outro destaque vai para esquisitíssima e nonsense “Hairspray Queen”, registro dos anos iniciais da banda. Ouça abaixo:

Incesticide pode não ser um disco de vinil do Nirvana para todos. É instável e não representa plenamente o que a banda era na época de seu lançamento. Porém, para os fãs, trata-se de um tesouro para entender o desenvolvimento dos rapazes de Aberdeen até alcançarem o sucesso.

Curiosidade: as primeiras prensagens do Incesticide vinham com a seguinte frase escrita no encarte: “Se algum de vocês de alguma maneira odeia homossexuais, pessoas de cores diferentes ou mulheres, por favor nos façam um único favor: nos deixem em paz!!”.

Capa do disco Incesticide.
Imagem: Amazon/Reprodução.
Ficha técnica
Lançamento: 1992
Gravadora: DGC Records
Produtores: Vários
Disco duplo – Importado

Lista de faixas
Lado A
1. Dive   3:55
2. Sliver   2:16
3. Stain   2:40
4. Been a son   1:55
Lado B
5. Turnaround   2:19
6. Molly’s Lips   1:54
7. Son of a Gun   2:48
8. (New Wave) Polly   1:47
9. Beeswax   2:50
Lado C
10. Downer   1:43
11. Mexican Seafood   1:55
12 Lounge Act   2:36
13. Hairspray Queen   4:13
14. Aero Zeppelin   4:41
Lado D
15. Big Long Now   5:03
16. Aneurysm   4:36

Link para comprar na Amazon

4. In Utero (1993)

Com o sucesso, era de se esperar que o Nirvana tornasse seu som mais palatável e comercial para atrair ainda mais público – porém, isso não aconteceu. Para o novo trabalho, eles convidaram para a produção Steve Albini, conhecido por produzir bandas de hardcore do underground estadunidense. 

In Utero dá continuidade à sonoridade que o Nirvana já vinha construindo, com canções críticas e dinâmicas, mas com alguns upgrades: as melodias são mais agressivas e as faixas são mais diversificadas entre si.

Um bom exemplo é “Heart-Shaped Box”, uma “canção de amor” destinada à esposa de Kurt, Courtney Love. Foi o principal single e alcançou o topo das paradas norte-americanas logo após o lançamento. 

Já “Dumb” e “Milk It” demonstram a diferença que Albini teve como produtor. Os instrumentos são bem separados e nítidos, o baixo é soturno e sujo e as guitarras, estrondosas.

As letras do álbum, por sua vez, revelam os crescentes problemas que acompanhavam Kurt Cobain. O músico se via cada vez mais descontente com a vida, e carregava o peso de lidar com o sucesso inesperado. 

Faixas como “Rape Me”, “Pennyroyal Tea” e “All Apologies” tratam abertamente desse tema, com boas doses de ironia e cinismo. Confira um trecho da última abaixo:

“O que mais eu deveria escrever? Eu não tenho o direito

O que mais eu deveria ser? Todas as minhas desculpas”

Se o Nevermind era um disco popular e acessível, In Utero é mais difícil de digerir que seu antecessor – mas é justamente aí que está o desafio de ouvir o álbum, e que faz dessa obra a preferida de muitos fãs. Infelizmente, é o último trabalho em estúdio do Nirvana, lançado meses antes da morte precoce de seu líder.

Capa do disco In Utero.
Imagem: Amazon/Reprodução.
Ficha técnica
Lançamento: 1993
Gravadora: DGC Records
Produtor: Steve Albini
Disco simples – Importado

Lista de faixas
Lado A
1. Serve the Servants   3:36
2. Scentless Apprentice   3:48
3. Heart-Shaped Box   4:41
4. Rape Me   2:50
5. Frances Farmer Will Have Her Revenge on Seattle   4:09
6. Dumb   2:32
Lado B
7. Very Ape   1:56
8. Milk It   3:55
9. Pennyroyal Tea   3:37
10. Radio Friendly Unit Shifter   4:51
11. Tourette’s   1:35
12. All Apologies   3:51

Link para comprar na Amazon

5. MTV Unplugged in New York (1994)

A relação entre o Nirvana e a MTV sempre foi muito próxima. Desde o início, seus clipes tocavam na programação do canal, que acompanhou sucessos como “Smells Like Teen Spirit” e “Heart-Shaped Box”. 

Quando foram convidados pela emissora para fazer um acústico, no final de 1993, a banda se viu muito animada. Ao mesmo tempo, eles não queriam que o resultado fosse algo comum ou óbvio.

Por isso, elaboraram um setlist que mesclava o repertório da banda até o momento, revisitando todos os álbuns e covers de artistas como David Bowie e The Vaselines

Cris Kirkwood, líder da banda Meat Puppets, que já havia tocado com o Nirvana algumas vezes, não somente teve três de suas músicas no repertório do acústico, mas também participou do show. 

Outras participações incluíram Lori Goldston no violoncelo e Pat Smear nos violões (que se tornaria membro de apoio da banda até a morte de Cobain, e posteriormente integraria o Foo Fighters).

Por mais estranha que fosse toda essa mistura, o resultado foi impressionante, rendendo mais um excelente disco para a conta do conjunto. Mesmo as canções mais extremas, como “Dumb” e “On a Plain”, soaram perfeitamente bem, e “Polly” e “Something in the Way”, que já eram acústicas, ganharam lindos arranjos.

Os grandes destaques são “All Apologies”, do último disco da banda, e as versões de “Lake of Fire”, dos Meat Puppets e “The Man Who Sold the World”, de David Bowie.

Apesar do especial de TV já ter sido transmitido em 1993, o álbum só foi lançado postumamente à morte de Cobain, em abril de 1994.

Capa do disco MTV Unplugged in New York (1994).
Imagem: Amazon/Reprodução.
Ficha técnica
Lançamento: 1994
Gravadora: DGC Records
Produtores: Alex Coletti, Scott Litt e Nirvana
Disco simples – Importado

Lista de faixas
Lado A
1. About a Girl   3:37
2. Come as You Are   4:13
3. Jesus Doesn’t Want Me for a Sunbeam   4:37
4. The Man Who Sold the World   4:20
5. Pennyroyal Tea   3:40
6. Dumb   2:52
7. Polly   3:16
Lado B
8. On a Plain   3:55
9. Something in the Way   4:01
10. Plateau   3:37
11. Oh, Me   3:26
12. Lake of Fire   2:56
13. All Apologies   4:23
14. Where Did You Sleep Last Night   5:08

Link para comprar na Amazon

6. Nirvana (2002)

Pouco menos de uma década após o fim da banda (que se deu com a morte precoce de seu frontman em abril de 1994), os membros remanescentes se reuniram para lançar uma compilação com grandes sucessos da carreira do grupo, aos moldes de discos “greatest hits”. Serviria como uma homenagem a Kurt e seu legado, além de apresentá-los a uma nova geração.

Nirvana, a coletânea homônima, também lançava “You Know You’re Right”, uma faixa com fórmula típica da banda, gravada na última sessão em estúdio que fizeram em janeiro de 1994. 

Esse é o disco de vinil do Nirvana perfeito para quem quer ouvir todos os sucessos em um só lugar. Traz faixas do Bleach, Nevermind, Incesticide, In Utero e MTV Unplugged in New York.

Capa do disco Nirvana (2002).
Imagem: Amazon/Reprodução.
Ficha técnica
Lançamento: 2002
Gravadora: DGC Records
Produtores: Vários
Disco simples – Importado

Lista de faixas
Lado A
1. You Know You’re Right   3:38
2. About a Girl   2:49
3. Been a Son   2:23
4. Sliver   2:14
5. Smells Like Teen Spirit   5:01
6. Come as You Are   3:39
7. Lithium   4:17
Lado B
8. Lithium   4:15
9. Heart-Shaped Box   4:41
10. Pennyroyal Tea   3:3
11. Rape Me   2:51
12. Dumb   2:34
13. All Apologies   3:51
14. The Man Who Sold the World   3:47

Link para comprar na Amazon

Bônus: Nevermind 20th-anniversary edition

Mesmo anos após seu lançamento, o Nevermind continua altamente relevante. Ele aparece no topo de listas de melhores discos de grandes veículos de imprensa especializada, como Rolling Stone, NME e Consequence of Sound, além de ser citado como influência por muitos artistas.

Em comemoração aos seus 20 anos, o Nevermind foi relançado em uma edição com quatro discos, recheada de extras como lados-B, versões ao vivo e ensaios. 

Um dos pontos altos dessa versão é o cover de “Here She Comes Now”, do The Velvet Underground, banda que influenciou muito o som do Nirvana. O instrumental ficou excelente e encaixou muito bem à voz de Kurt, que casou perfeitamente com a canção.

Outra excelente canção é “Old Age”, demo que acabou não entrando no disco. Posteriormente, ela seria gravada pelo Hole, banda de Courtney Love.

Nevermind 20th-anniversary edition é uma versão dedicada aos verdadeiros fãs, que querem consumir tudo o que há por trás dessa obra-prima do rock noventista.

Capa do disco Nevermind 20th-anniversary edition.
Imagem: Amazon/Reprodução.
Ficha técnica
Lançamento: 1991
Gravadora: DGC Records
Produtor: Butch Vig
Disco quádruplo – Importado

Lista de faixas
Lado A (Álbum Original)
1. Smells Like Teen Spirit   5:01
2. In Bloom   4:14
3. Come as You Are   3:39
4. Breed   3:03
5. Lithium   4:17
6. Polly   2:57
Lado B (Álbum Original)
7. Territorial Pissings   2:22
8. Drain You   3:43
9. Lounge Act   2:36
10. Stay Away   3:32
11. On a Plain   3:16
12. Something in the Way   3:52
Lado C (B-sides)
13. Even in His Youth   3:03
14. Aneurysm   4:46
15. Curmudgeon   2:59
16. D-7 (Live At The BBC)   3:45
17. Been a Son (Live)   2:31
18. School (Live)    2:33
Lado D (B-sides e Smart Studio Sessions)
19. Drain You (Live)   3:53
20. Sliver (Live)   2:04
21. Polly (Live)    2:47
22. In Bloom (Smart Studios)   4:32
23. Immodium (Breed) (Smart Studios)   3:15
24. Lithium (Smart Studios)   4:31
Lado E 
25. Polly (Smart Studios)   2:59
26. Pay to Play (Smart Studios)   3:29
27. Here She Comes Now (Smart Studios)   5:01
28. Dive (Smart Studios)   3:54
29. Sappy (Smart Studios)   3:57
Lado F (The Boombox Rehearsals)
30. Smells Like Teen Spirit (Tacoma rehearsal space)  5:40
31. Verse Chorus Verse (Tacoma rehearsal space)   3:14
32. Territorial Pissings (Tacoma rehearsal space)    2:12
33. Lounge Act (Tacoma rehearsal space)   2:38
Lado G (The Boombox Rehearsals)
34. Come as You Are (Tacoma rehearsal space)    4:12
35. Old Age (Tacoma rehearsal space)   4:32
36. Something in the Way (Tacoma rehearsal space)   5:31
37. On a Plain (Tacoma rehearsal space) – 3:21
Lado H (BBC Sessions)
38. Drain You (BBC Studios)    4:04
39. Something in the Way (BBC Studios)   3:23

Link para comprar na Amazon

Apesar da carreira interrompida precocemente pela morte de seu líder, o Nirvana deixou sua marca na história com uma ótima discografia. Desde discos de estúdio ao acústico ao vivo, passando por canções lado-B e demos, tudo o que a banda lançou é muito apreciado por fãs do mundo todo até hoje.

A grande verdade é que não há como escolher um disco de vinil do Nirvana, pois todos têm sua importância para a carreira da banda. Por isso, escolha o seu preferido na nossa seleção e aumente sua coleção!

Bernardo Gasino

Graduado em Comunicação e Multimeios, consome e estuda música desde pequenininho. É um grande apreciador de filmes coming-of-age e de aventuras culinárias.

Este artigo tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top